Arquivos da categoria: SPTuris&Você

Semana de Inclusão e Diversidade: Os desafios do novo mercado de trabalho

O último dia de palestra da Semana de Inclusão e Diversidade da SPTuris contou com a presença da Secretária Municipal de Desenvolvimento e Trabalho, Aline Cardoso. A Secretária falou sobre as principais mudanças no mercado de trabalho e como elas são um sintoma direto das mudanças demográficas que a população da cidade de São Paulo sofreu nos últimos anos. 

No primeiro momento, Aline fez uma fala sobre diversidade, focada nas diferenças de gênero no ambiente de trabalho. As mulheres, defasadas por um machismo estrutural ainda muito presente em algumas empresas, não atingem seu potencial de produtividade e ocupam poucas posições de poder. Esse reflexo social não atinge só pessoas do sexo feminino, mas ressalta que todos os colaboradores de uma empresa são afetados por esse quadro e devem engajar na discussão para que se promova mudanças efetivas. 

Foto: Jose Cordeiro/ SPTuris

Outro ponto levantado pela palestrante foi a criação de um novo mercado de trabalho, já reinventado pela diversidade, que agora sofre grande influência da pandemia do novo coronavírus em seus valores. O trabalho remoto, por exemplo, era antes mal visto por empresas mais conservadoras pela ideia errônea de que promoveria uma queda na produtividade, o que se provou infundado devido à adoção desse modelo para cumprir as regras de distanciamento social, em 2020. As chamadas “soft skills”, habilidades e competências socioemocionais, também estão se inserindo como habilidades requeridas pelas empresas no momento de compor seu corpo de funcionários. Aqueles com maior capacidade comunicativa, relações interpessoais, gestão de crise e que sabem enfrentar desafios se saem, por muitas vezes, melhor que aqueles qualificados com diplomas de ensino superior e técnico. 

Por fim, a diretoria da São Paulo Turismo assinou o Protocolo de Intenções para Ações de Inclusão e Diversidade, no qual está previsto a adoção de medidas de inclusão pela empresa, nos próximos anos, como respeito aos direitos humanos, combate à discriminação e ações na sua esfera de influência. A assinatura do documento marcou o fechamento do evento e da Semana de Inclusão e Diversidade.  

 

Foto: Jose Cordeiro/ SPTuris

A transmissão ao vivo da palestra de hoje pode ser acessada pelo link. As palestras referentes aos outros dias estão no conteúdo do blog SPTuris e na nossa página do Youtube. 

Semana de Inclusão e Diversidade: Questões Étnico Raciais

A segunda palestra da Semana de Inclusão e Diversidade da SPTuris aconteceu em 15/12 no Auditório 9 do Palácio das Convenções do Anhembi e teve como temática principal as questões étnico raciais. A palestra foi introduzida por Elisa Lucas Rodrigues, secretária executiva adjunta de Promoção da Igualdade Racial da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC), que abordou “As Conquistas Sociais da População Negra”. Elisa iniciou a palestra relacionando o histórico da população negra no Brasil, as leis que surgiram ao longo do tempo e como os indivíduos negros são vistos na atualidade.
Foto: Jose Cordeiro/ SPTuris
Na sequência, Daniel Almeida dos Santos, coordenador de Promoção da Igualdade Racial, também na SMDHC, tratou sobre o tema dos direitos humanos para a população negra. O palestrante lembrou que esses direitos nunca foram de fato garantidos, visto que a sociedade brasileira foi fundada com base na escravidão, iniciada no século XVI. A palestrante seguinte do evento foi Naiza Bezerra dos Santos, analista de Assistência e Desenvolvimento Social da mesma secretaria, que abordou as políticas paulistanas de cotas raciais no funcionalismo público, explicando o sistema de cotas atuais em cargos públicos, a legislação vigente com relação a isso e a importância da inclusão da população negra em cargos de chefia e gestão.
Foto: Jose Cordeiro/ SPTuris

Regina Célia da Silveira Santana, assessora técnica da Coordenação de Promoção da Igualdade Racial, abordou o Mercado de Trabalho e Diversidade Racial, mostrando a importância da diversidade dentro das organizações, a divisão da sociedade paulistana por faixas de riqueza e pobreza e a posição dos negros no mercado de trabalho atual. O último a falar foi Bruno Vicente Pimentel, assessor técnico na Coordenação de Promoção da Igualde Racial, que teve como tema o combate ao racismo religioso no ambiente de trabalho, explicando a importância do respeito com todas as religiões dentro do ambiente empresarial e na sociedade como um todo.

13 de dezembro- Dia Mundial do Cego

Nesse domingo, dia 13 de dezembro, foi comemorado o Dia Nacional do Cego. Criada pelo Presidente Jânio Quadros em 1961, a data tem como objetivo diminuir o preconceito que ronda os portadores dessa deficiência.

Uma pessoa pode considerar que possui uma deficiência visual quando tem perda parcial ou total da visão. Uma pessoa cega, por sua vez, é alguém que, seja por motivos genéticos ou por consequência de algum incidente ou patologia, tenha perdido completamente esse sentido. Apesar disso, é fundamental compreender que todos os deficientes visuais podem realizar quase todas as atividades que uma pessoa sem esse problema realiza. Estudar e trabalhar, por exemplo. Com as ferramentas certas de inclusão, essas pessoas se tornam facilmente independentes e acompanham sem dificuldade o ritmo do escritório ou sala de aula.

Para auxiliar na conscientização, a equipe de acessibilidade do Instituto Benjamin Constant, divulgado pelo Ministério da Educação, criou uma lista de orientações a seguir ao se relacionar com pessoas que possuem deficiência visual.  Aqui estão algumas recomendações definidas pela organização:

  1. Não trate as pessoas cegas como seres diferentes somente porque não podem ver. Saiba que elas estão sempre interessadas no que você gosta de ver, de ler, de ouvir e falar.
  2. Não se dirija a uma pessoa cega chamando-a de “cego” ou “ceguinho”; é falta elementar de educação, podendo mesmo expressar um sentimento falso e piegas, ou constituir ofensa, chamar alguém pela palavra designativa de sua característica sensorial, física ou intelectual.
  3. Não fale com a pessoa cega como se ela fosse surda; o fato de não ver não significa que não ouça bem.
  4. Não manifeste pena nem exagerada solidariedade pela pessoa cega; ela deve ser compreendida e aceita com igualdade.
  5. Não exclame “maravilhoso”, “extraordinário”, ao ver a pessoa cega consultar o relógio, digitar o telefone ou assinar o nome; ela aprende e passa a executar isso com naturalidade, da mesma forma que você executa.
  6. Não deixe de oferecer ajuda à pessoa cega que esteja querendo atravessar a rua ou tomar condução; ainda que seu oferecimento seja recusado ou mesmo mal recebido por algumas delas, esteja certo de que a maioria lhe agradecerá o gesto.
  7. Não pegue a pessoa cega pelos braços rodando com ela para pô-la na posição de sentar-se, empurrando-a depois para a cadeira; basta pôr a mão dela no espaldar ou no braço da cadeira, que isso lhe indicará sua posição.
  8. Não acompanhe a pessoa cega empurrando-a ou puxando-a com rigidez; basta deixá-la segurar seu braço, que o movimento de seu corpo lhe dará a orientação de que precisa;
  9. Não deixe de se anunciar ao entrar no recinto onde haja pessoas cegas; isso auxilia a sua identificação. Além disso, não saia de repente quando estiver conversando com uma pessoa cega, principalmente se houver algo que a impeça de perceber seu afastamento; ela pode dirigir-lhe a palavra e ver-se na situação desagradável de falar sozinha;
  10. Não deixe de apresentar o seu visitante cego a todas as pessoas presentes em um determinado ambiente; assim procedendo, você facilitará a possível integração dele ao grupo.
  11. Não fotografe ou filme uma pessoa cega sem que ela saiba;
  12. Durante as refeições, informe a pessoa cega com relação à posição dos alimentos colocados em seu prato, bem como sobre a posição dos talheres e copos na mesa, evitando assim qualquer incidente;

    Para ler a lista completa, acesse o link aqui.

Café especial em homenagem aos 50 anos do Anhembi!

Nessa segunda-feira, 23 de novembro, um café da manhã preparado para todos os colaboradores da SPTuris celebrou os 50 anos do Anhembi, no Auditório Elis ReginaConduzido pelo presidente Rodrigo Kluska, o evento contou com depoimentos dos diretores, de alguns dos funcionários mais antigos e expresidentes da empresa, que deixaram palavras de agradecimento e carinho pelo aniversário. Na mesma ocasião, o hotsite www.anhembi50anos.com.br foi apresentado aos colaboradores com exclusividade: um museu on-line que foi idealizado e elaborado pela GCM, com apoio da DMV e GTI. 

Além disso, cinco colaboradores foram homenageados com um voucher de uma diária, com acompanhante, no Hotel Holiday Inn, outros cinco foram presentados, por meio de sorteio, com um voucher de almoço ou jantar no mesmo hotel.  

Após as celebrações, um café da manhã e souvenirs foram oferecidos no hall do auditório para os presentes, uma forma de agradecer a todos que ajudaram a construir essa história! 

Abaixo, algumas fotos de momentos marcantes da homenagem ao Anhembi e a todos os funcionários: 

Dia Mundial da Lavagem das Mãos

Uma das ações mais importantes para a saúde é a lavagem das mãos. O dia 15 de outubro foi a data escolhida para incentivar a prática, e fazer com que isso se torne um hábito na rotina da população.

A importância de lavar as mãos
Por mais que não consigamos ver, as nossas mãos estão sempre repletas de microrganismos, como vírus e bactérias, que podem ser nocivos a nossa saúde. Lavar as mãos é mais que uma prática de higiene: é uma maneira de prevenir diversas doenças. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), higienizar as mãos é um dos principais atos contra doenças, como as gripes, diarreias, conjuntivites e diversas outras enfermidades que podem ser evitadas com uma simples lavagem das mãos.

Lavar as mãos ajuda na prevenção da COVID-19
Uma das formas de prevenir a propagação do Coronavírus é a lavagem efetiva das mãos, que ajuda a evitar contaminações. Constantemente, estamos tocando em objetos de uso comum (como maçanetas, corrimãos e dinheiro), e quando não há a higienização correta das mãos, a propagação do vírus se torna mais fácil. Por isso, é importante estar sempre atento aos seus hábitos de higiene, lavando constantemente as mãos você poderá evitar não somente o Coronavírus, como diversas outras doenças.

Quando devo lavar as mãos?

  • Antes do preparo de alimentos;
  • Antes de todas as refeições;
  • Após o uso do banheiro;
  • Após tocar em objetos de uso comum: maçanetas, dinheiro, corrimãos, interruptores, micro-ondas etc;
  • Após usar o transporte público;
  • Após tratar qualquer machucado;
  • Após o contato com pessoas doentes.

Lave as mãos corretamente
Para lavar as mãos de maneira eficiente, alguns passos devem ser seguidos:

  • Molhe as mãos com água e coloque sabão;
  • Esfregue as palmas das mãos;
  • Entrelace os dedos e lave as costas de uma mão com a palma da outra;
  • Esfregue entre os dedos com as mãos entrelaçadas;
  • Esfregue a parte de trás dos dedos na palma da outra mão;
  • Gire uma mão fechada sobre o polegar;
  • Esfregue os dedos de uma mão fechada sobre a palma da outra;
  • Lave os pulsos também;
  • Enxague suas mãos com água;
  • Seque bem as mãos com uma toalha de papel ou toalha de uso pessoal.

Confira o vídeo de como lavar as mãos corretamente para a prevenção da Covid-19, produzido pela BBC News Brasil:

 

Outubro Rosa: a importância da prevenção contra o câncer de mama

Ações da SPTuris:

  • Convite de abertura Outubro Rosa

Aconteceu hoje (02/10), às 9h30 no Setor J (Sambódromo), a roda de conversa e confraternização do Outubro Rosa, com a Doutora Ana Olandim.

Confira as fotos de Jose Cordeiro/SPTuris:

  • Retirada dos bottons 

Informamos que a partir de hoje (02/10/2020), às 9h, um representante de cada área deverá retirar um botton, feito especialmente para a campanha Outubro Rosa, na Área de Pessoas.

Fotos: Jose Cordeiro/SPTuris.

O botton será distribuído às funcionárias da SPTuris. Para retirá-lo, pedimos que confirmem se a AP ainda está na área do Portão 31, pois há previsão de mudança.

Saiba mais sobre o Outubro Rosa:

Anualmente, o mês de outubro é marcado por diversas ações para a conscientização a respeito do câncer de mama. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), entre 2020 e 2022, 66.280 mulheres serão diagnosticadas com a doença, ou seja, a cada 100 mil mulheres, 62 desenvolverão o câncer de mama.

O mais importante para reduzir o número de casos é a prevenção, e por isso que o movimento de conscientização internacional no mês de outubro é de suma importância. Conheça algumas informações com relação a história e prevenção do câncer de mama:

Como começou o movimento para a conscientização?
Teve início nos Estados Unidos na década de 1990, em que diversos estados realizavam ações isoladas para a prevenção do câncer de mama. Após a aprovação do Congresso Americano, o mês de outubro foi definido como o mês da prevenção do câncer de mama. No mesmo ano, aconteceu a primeira Corrida pela Cura na cidade de Nova York, organizada pela Fundação Susan Global Komen Para a Cura, onde ocorreu a distribuiu de laços cor-de-rosa para os participantes. A partir disso, a fita cor-de-rosa virou o símbolo do movimento.

No Brasil, a iniciativa começou em outubro de 2002, com a iluminação do monumento conhecido como Obelisco do Ibirapuera, por incentivo de um grupo de mulheres defensoras da causa pelo câncer de mama. Atualmente, o movimento atinge diversos países pelo mundo, e todos os anos acontecem diversas ações com o objetivo de alertar a população.

Sobre o câncer de mama
É o segundo tipo de câncer mais comum entre as mulheres, ficando atrás somente para o de pele. O câncer de mama também pode ser diagnosticado nos homens, porém é raro, representando apenas 1% dos casos.

O desenvolvimento do câncer acontece pela multiplicação desordenada de células anormais das mamas, que acabam formando o tumor. A doença é rara antes dos 35 anos, sendo mais comum após 50 anos.

Quais são os sintomas?
O sintoma mais comum é a presença de nódulo na mama, que pode ser percebido pela própria mulher, por meio do toque. Outros sintomas que podem se manifestar são:

  • Alterações no bico do peito;
  • Pele da mama avermelhada, ou com aspecto de casca de laranja;
  • Surgimento de nódulos nas axilas e pescoço;
  • Saída de líquido anormal das mamas.

Como posso me prevenir?
Segundo especialistas, as melhores formas de prevenção (para fatores não hereditários), são a atividade física, alimentação saudável e evitar o consumo de álcool. Através da prática periódica de esportes, alimentação e gordura corporal adequados, é possível reduzir os riscos de desenvolver o câncer de mama. Para mulheres entre 50 e 69 anos, é importante também a visita anual ao médico especializado, para a realização de exames de caráter hormonal e radiológico.

Autoexame das mamas
É o “exame” que pode ser realizado por conta própria em frente ao espelho, para a detecção de anormalidades na região das mamas. Esse autoexame não substituí a ida ao especialista. Confira como realizá-lo:

  • Posicione-se em frente ao espelho, e observe os dois seios primeiramente com os braços caídos;
  • Coloque as mãos atrás da cabeça e observe o tamanho, posição e forma dos mamilos;
  • Pressione o mamilo e veja se há saída de secreção;
  • Em seguida, use a polpa dos dedos e realize movimentos circulares de cima para baixo, na região das duas mamas.

Caso sinta a presença de nódulo ou saída de secreção das mamas, consulte um ginecologista, que fará a solicitação de exames clínicos.

As formas de tratamento
Com o diagnóstico do câncer de mama, é importante avaliar os melhores tratamentos para o paciente.

Tratamentos locais: visa tratar o tumor localmente, e incluem a cirurgia e a radioterapia

Tratamentos sistêmicos: são caracterizados pelo uso de medicamentos – seja por via oral ou sanguínea – para a destruição das células sanguíneas, e podem ser:

  • Quimioterapia;
  • Hormonioterapia;
  • Terapia alvo;
  • Imunoterapia.

A importância da fala 
Não somente a existência do Outubro Rosa é importante, como também a divulgação de informações sobre o câncer de mama. Converse com pessoas que você conheça, informe-se mais e divulgue informações sobre o assunto. Juntos, podemos colaborar para a redução dos índices de câncer de mama no país e no mundo!

Ansiedade: a doença que já afeta 19 milhões de brasileiros

Em uma pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi apontado que 9,3% dos brasileiros têm algum transtorno de ansiedade – o equivalente a quase 19 milhões de pessoas. O Brasil é considerado o país com maior índice de pessoas com ansiedade no mundo, e isso ocorre por diversas causas, como o sedentarismo, desemprego, rotina estressante, uso excessivo da tecnologia e falta de alimentação saudável, que fazem parte do dia-a-dia de vários brasileiros. Tais fatores podem colaborar para o surgimento de doenças físicas e mentais, como é o caso da ansiedade.

Os transtornos de ansiedade podem afetar qualquer pessoa – independentemente do sexo, classe social ou idade – sendo mais comum na idade adulta, no início da vida profissional. A ansiedade também está relacionada com a genética, pais ansiosos têm maior tendência a gerar filhos com o mesmo transtorno, e os sintomas aparecem mais cedo, entre os 6 e 7 anos de idade.

 

Como saber se estou com ansiedade?

Sentir-se ansioso ao realizar uma tarefa esporádica, pode não estar relacionado com o transtorno em si, mas sim com um sentimento normal para os seres humanos, como é o caso da preocupação e tensão. Entretanto, é importante observar a frequência desses sentimentos, assim como a intensidade de alguns sintomas, como: coração acelerado, agitação, dificuldade para se concentrar, pressão arterial alta e em alguns casos, a visão embaçada.

Caso você observe que esses sintomas são frequentes, e impedem a realização das suas atividades diárias, é importante ficar em alerta. A melhor forma de diagnosticar o Transtorno de Ansiedade é por meio da ajuda profissional, com o auxílio de psicanalistas e terapeutas.

 

Conheça os principais tipos de ansiedade: 

  • Transtorno de Ansiedade Generalizada: é caracterizado por ansiedade e preocupações excessivas sobre diversas áreas da vida, que afetam negativamente o indivíduo socialmente e profissionalmente.
  • Fobia Simples: está relacionada com o medo ilógico de um objeto ou situação – como medo de altura ou de algum animal – no qual pode levar a pessoa a ter um ataque de pânico, que é consequência da ansiedade.
  • Fobia Social: as pessoas que sofrem desse tipo de transtorno se sentem ansiosas em situações sociais, como falar em público ou participar de algum evento, e têm constante preocupação com o pensamento dos outros a respeito de si mesmo, sentindo-se sempre julgados.
  • Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC): obsessões e compulsões repetidas que afetam a vida dos indivíduos. A obsessão está relacionada com pensamentos repetidos, que causam a ansiedade: preocupação excessiva com limpeza, pensamentos agressivos e o desejo por manter objetos em uma ordem simétrica. Já a compulsão são os comportamentos repetitivos, e pode ser percebida como: organização de objetos em uma ordem específica, contagem compulsiva, verificação repetida – como ver se a porta está fechada ou se o forno está desligado – e limpeza excessiva.

 

Como podemos evitar a ansiedade?

Pratique atividades físicas: além de proporcionar bem-estar físico, a prática diária de esportes colabora também para a saúde mental, prevenindo transtornos mentais, como é o caso da ansiedade. Pesquise por atividades físicas que você mais tenha interesse, e comece a praticá-las. O seu corpo agradece, e a sua mente também.

Mantenha uma alimentação equilibrada: não é mistério para ninguém que para um bom funcionamento do organismo é necessário o consumo de diferentes fontes de vitaminas e minerais, que são encontrados nos alimentos. Alimente-se bem todos os dias, e inclua frutas, legumes e vegetais nas suas refeições . As vitaminas dos alimentos formam neurotransmissores que estimulam o bom humor, colaborando para o bom funcionamento do cérebro e prevenindo as doenças mentais.

A importância do sono: a falta do sono colabora para a formação do estresse, que pode levar á ansiedade. Procure dormir pelo menos oito horas todas as noites, e certifique-se de que o quarto é calmo e relaxante. É importante também evitar consumir cafeína, álcool e nicotina durante a noite, pois essas substâncias afetam a qualidade do seu sono.

Organize-se: ambiente organizado, mente organizada. Procure sempre manter a sua casa e local de trabalho organizados, evitando o estresse e a procrastinação, que podem gerar futuramente transtornos de ansiedade. Uma dica importante para evitar a desordem é planejar a sua semana, com todos os compromissos e tarefas que devem ser realizados ao longo dos dias. Com uma simples anotação, você melhora o gerenciamento do tempo, e auxilia a sua saúde mental.

Em busca por novos hobbies: use o seu tempo livre de maneira divertida. Experimente novas atividades, como artesanato, pintura, dança, música e diversas outras que são capazes de reduzir o estresse e garantir uma nova habilidade para você. Os momentos de lazer fazem total diferença quando o assunto é saúde mental.

Ajuda profissional: nada melhor do que poder conversar com alguém especializado no assunto. A terapia é uma forma de mostrar ao indivíduo um novo olhar sobre determinado problema, de modo a auxiliá-lo para busca de uma solução. O atendimento terapêutico não só colabora com o cuidado da saúde mental, mas também para o autoconhecimento do paciente.

O que é o assédio virtual e como identificá-lo?

As mudanças que a internet trouxe na conexão entre as pessoas têm seus percalços. A possibilidade do anonimato, o poder de opinar sobre qualquer coisa e de se conectar com grupos grandes abriu precedentes para que casos de violência e assédio no mundo virtual se multiplicassem. 

O assédio virtual é um fenômeno recorrente na esfera digital. Tendo como principal alvo jovens e mulheres, eles podem ter cunho descriminante, misógino e sexual. Ele acontece quando alguém, ou um grupo de pessoas é vítima desses ataques e tem sua integridade exposta e violada pelo conteúdo compartilhado, seja de forma pública ou privada. Há muitas formas dessa violência ocorrer, entre elas se destacam: 

  • Envio de fotos íntimas sem consentimento; 
  • Envio de mensagens importunas com conteúdo sexual; 
  • Propagação de discurso de ódio contra um grupo de pessoas ou um indivíduo; 
  • Divulgação de dados sem autorização; 
  • Comentários pejorativos e/ou vexatórios nas redes sociais; 
  • Difusão de rumores ou boatos a respeito de alguém. 

 

imagem: Getty Images/iStockphoto

Na atual legislação brasileira, não há leis punitivas específicas para assédio virtual, apenas para outros crimes virtuais específicos como estelionato e falsidade ideológica. No entanto, muitos desses assédios podem ser enquadrados em outros crimes passíveis de pena como importunação sexual, difamação, injúria, ameaça, constrangimento ilegal, racismo etc. Por exemplo, o envio de conteúdos em áudio, vídeo ou foto com conotação sexual pode ser julgado como crime de Importunação e levar até cinco anos de prisão. O envio de mensagens é mais complexo por não se enquadrar completamente nesses crimes já previstos por lei. Essa lacuna demonstra algumas falhas no código penal, que deveriam existir para combater o machismo estrutural e os preconceitos que ainda perduram na sociedade.

No Brasil, nove em cada dez mulheres já sofreu algum tipo de importunação por meios digitais, segundo o Relatório da Truecaller Insights de 2019 – aplicativo gratuito que permite detectar e bloquear números indesejados. Em contrapartida aos números elevados de ocorrências, no mesmo relatório consta que penas 6 em cada dez mulheres no Brasil costumam tomar alguma providência diante do problema, por insegurança, medo e falta de instrução sobre como agir. Esse cenário transparece a dificuldade que as mulheres ainda enfrentam em denunciar ou ter sua voz ouvida quando são vítimas de algum tipo de assédio. Sobretudo os que ocorrem no mundo virtual, é ainda mais difícil identificar, punir e impedir que esses atentados continuem acontecendo de forma tão frequente.

Companhia para todos os momentos: adoção de pets salva vidas

Neste Setembro Amarelo, muito se debate sobre as formas de prevenir e tratar a depressão, considerada a principal desencadeadora do suicídio. Entre as inúmeras formas de combater essa doença, há diversas pesquisas científicas que indicam como processo terapêutico a convivência e cuidados com os animais. Ao adotar, oferecer um lar e amor a um pet, você escolhe uma alternativa que ajuda um animal em estado de abandono e, em troca, terá um fiel companheiro.

Como os animais passam por uma fase de adaptação em seus novos lares, estar por perto ajuda com que o animal se adapte à rotina da casa e se familiarize com seus moradores. Além disso, interagir com animais é uma atividade benéfica à saúde mental dos humanos.

A adoção de animais é um assunto sério. As famílias e pessoas que pensam nisso precisam refletir muito sobre espaço, tempo, condição financeira e rotina antes de se comprometerem a cuidar do bichinho. Uma vez adotado, o animal passa a ser parte da família: é um compromisso para a vida toda.

Da esquerda pra direita: Sorvete, Junior, Mingau e Cuica. Todos para adoção no Instituto Santo Pet.

Abaixo, consulte alguns lugares abertos para adoção durante a pandemia:

  • Secretaria de Saúde e Proteção ao Animal Doméstico– informações para contato aqui
  • União Internacional Protetora dos Animais (Uipa)- informações para contato aqui
  • Instituto Santo Pet– informações para contato aqui
  • Gatil Lovecats– Instagram aqui
  • Adote um Miau- Instagram aqui

Calor intenso: cuidados com a saúde e vestimenta

Ainda estamos no inverno, mas os dias quentes vieram com tudo. Para enfrentar as altas temperaturas, listamos alguns cuidados que todos podemos adotar nesses dias. Confira:

– Mantenha-se hidratado. Beba água, chás e sucos, mesmo sem sentir sede, pois a sede é um indicativo que o corpo já está com carência de líquido.

– Evite o consumo de gorduras. O resultado de um almoço cheio de frituras, por exemplo, pode ser uma sensação de mal-estar e desconforto algum tempo depois. Prefira frutas, verduras e alimentos saudáveis.

– Entre 10 e 16h, evite ficar exposto ao sol e sempre aplique o filtro solar antes de sair de casa.

 

– Lave as narinas e os olhos com soro fisiológico várias vezes ao dia.

– Pelo aumento da transpiração, redobre os cuidados específicos com a higiene pessoal.

– Use roupas leves e confortáveis, mas que estejam de acordo com o ambiente de trabalho. Lembre-se: decotes, roupas muito curtas ou com rasgos, assim como tops, não fazem parte do código de vestimenta do ambiente corporativo.

O uso de bermudas durante os dias quentes está liberado, mas com algumas ressalvas:

  • O tamanho da peça deve ser até 3 cm acima dos joelhos;
  • Uniforme de time e estampas florais ou praianas estão proibidas;
  • Em dias de reunião ou visita de clientes, evitar utilizá-la ou trazer uma calça para essas ocasiões;
  • Não é permitido ​o uso de regata e chinelo.